PT, PSol e PSB negociam formação de bloco oposicionista na Câmara

Dirigentes dos três partidos se reuniram para chegar a um acordo sobre a eleição para a Presidência da Casa

Rafaela Felicciano / MetrópolesRafaela Felicciano / Metrópoles

atualizado 22/01/2019 13:42

Dirigentes do PT, PSB e PSol estão reunidos na manhã desta terça-feira (22/1) para negociar a formação de um bloco parlamentar na Câmara dos Deputados em oposição ao governo de Jair Bolsonaro (PSL). Na mesa de conversa, as três legendas buscam também um acordo para a eleição da Presidência da Câmara e para a ampliação do leque de alianças na oposição.

Entre os pontos convergentes, estão a oposição de resistência ao governo e à candidatura de Rodrigo Maia (DEM) à Presidência da Casa. No entanto, há pontos divergentes entre os três partidos que podem emperrar a formação do bloco.

Um deles refere-se à ampliação da aliança, ao incluir MDB, PP e PTB. Essa hipótese é considerada pelo PSB e pelo PPT, mas integrantes do PSol se opõem a ela. “Se for assim, nós não estaremos no Bloco”, disse o candidato do PSol à Presidência da Câmara, o deputado eleito Marcelo Freixo (RJ).

O presidente do PSol, Juliano Medeiros, acredita que a ideia, entretanto, tem perdido força e isso vai permitir uma aproximação com o PT e o PSB.

Além disso, os três partidos buscarão diálogo com o PDT e com o PCdoB, legendas que já declararam apoio a Rodrigo Maia. O objetivo é tentar trazê-los de volta ao bloco oposicionista.

Últimas notícias