*

Mais lidas

PSDB irá recorrer contra votação que mantém direitos de Dilma

O presidente do partido, Aécio Neves, confirmou que enviará ao STF um pedido de anulação da votação que manteve a ex-presidente Dilma Rousseff habilitada para ocupar funções públicas. O PMDB e o DEM prometem apoiar o recurso

Foto: Daniel Ferreira/Metrópoles
Sara Alves
 

Após reunião com parlamentares e juristas, o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), decidiu nesta quinta-feira (1º/9) que ingressará com mandado de segurança contra a decisão do Senado de manter a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) habilitada para ocupar funções públicas. O senador Ronaldo Caiado (GO) , líder do DEM, declarou apoio ao recurso. O senador Romero Jucá, do PMDB de Roraima, também garantiu a participação do seu partido no requerimento.

O processo de julgamento de Dilma foi concluído nesta quarta-feira (31/8) e os senadores fatiaram a votação. No primeiro momento, foi analisado o pedido de impeachment, e, no outro, a inabilitação de Dilma para ocupar cargos públicos por um período de oito anos. Logo que o resultado saiu, a oposição cogitou recorrer do fatiamento, mas entrou em acordo e recuou. O senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) declarou ao O Globo que o adiamento foi uma estratégia para encontrar uma saída que não prejudicasse a votação do afastamento em definitivo da petista.

Aécio Neves  explicou os motivos que levaram os parlamentares a mudar de decisão. “Vamos ao Supremo para defender a Constituição. Com a cassação, a pena de inabilitação é automática, não tem como separar .O que se temia era que a judicialização pudesse prejudicar a votação do impeachment. Mas o PT já está fazendo isso“, explicou Aécio.

(Com informações de O Globo)

 

 

 

COMENTE

STFPSDBdemAécio Neves
comunicar erro à redação

Leia mais: Política