Procurador nomeado por Alckmin tira inquérito das mãos de promotor

Processo ficará parado até que procurador-geral defina o destino das investigações

Daniel Teixeira/agência estadoDaniel Teixeira/agência estado

atualizado 10/05/2018 0:19

O procurador-geral de São Paulo, Gianpaolo Smanio, indicado em lista tríplice ao cargo pelo ex-governador de Geraldo Alckmin, requisitou à Promotoria do Patrimônio Público e Social o inquérito que investiga o tucano. As informações são do jornal O Globo.

Com a decisão, a procuradoria-geral do estado poderá definir o responsável por investigar o político. Alckmin é suspeito de improbidade administrativa em caso que envolve acusações de pagamentos de propina, conforme delações da Odebrecht. Até que Smanio defina o destino da apuração, o caso permanece parado.

Conforme publicação do diário carioca, o promotor justificou o pedido invocando a Lei Orgânica do Ministério Público de São Paulo, a qual determina que governadores, no exercício do mandato, sejam investigados na esfera cível pelo procurador-geral de Justiça.

Alckmin perdeu o foro privilegiado ao renunciar ao cargo de governador para concorrer à Presidência da República. Sem a prerrogativa de foro, o processo do ex-governador foi remetido pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) ao judiciário paulista.

Últimas notícias