Príncipe sobre não ser vice: Bebianno falou de suruba gay

Para o deputado federal Luiz Philippe de Orleans e Bragança, foi isso que levou Bolsonaro a desistir da indicação para a chapa presidencial

ReproduçãoReprodução

atualizado 13/11/2019 18:57

Fotos de uma suruba gay: esse teria sido o principal motivo pelo qual o príncipe Luiz Philippe de Orleans e Bragança não foi convidado pelo então candidato Jair Bolsonaro (PSL) para a chapa que concorreu nas eleições presidenciais, na vaga de vice. As informações foram publicadas pela revista Crusoé.

O dossiê com as fotos estaria com o então braço direito de Bolsonaro, o advogado Gustavo Bebianno, segundo informou o próprio príncipe. De acordo com ele, Bebianno também falou a Bolsonaro que seu preferido para a chapa teria envolvimento em agressões a moradores de rua.  Orleans e Bragança garante que as fotos e as insinuações eram falsas.

“Bebianno armou e não queria que eu fosse o vice. Ele disse ao presidente que haveria um dossiê que tinha fotos minhas, segundo um amigo me contou na ocasião. O dossiê foi usado porque era domingo de manhã e era o último dia para protocolar quem seria o vice. Ele não queria colocar um militar, inicialmente”, contou o deputado. O general Hamilton Mourão acabou sendo o escolhido.

Nesta terça-feira (12/11/2019), o presidente Bolsonaro, de saída do PSL, afirmou que preferia o príncipe como seu vice, e não o general Mourão. Ele externou seu arrependimento em frente a todos os deputados presentes na reunião que chancelou sua vontade de criar um novo partido – o Aliança pelo Brasil – e deixar o PSL, segundo disse a coluna Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo.

“Casei errado”
“Príncipe, estou te devendo eternamente”, disse Bolsonaro. Orleans e Bragança, deputado federal por São Paulo, respondeu: “O que é isso. Deve nada, presidente”.

“Devo sim. Você deveria ter sido meu vice, e não esse Mourão aí. Eu casei, casei errado. E agora não tem mais como voltar atrás”, insistiu o presidente.

Segundo o príncipe, Bolsonaro lhe pediu desculpas nessa terça. “Sei que esse tipo de armação ocorre a todo momento. Sei que circulam informações falsas. O dossiê era de fotos que eu fazia uma suruba gay e que eu batia em mendigo”, contou o deputado.

O deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) também confirmou à colunista da Folha de S.Paulo que Bolsonaro lhe perguntou sobre o príncipe. “Me perguntou se eu sabia se o príncipe era gay ou não. Eu disse que não sabia”, disse.

Últimas notícias