Previdência: ignorando críticas, Bolsonaro quer rapidez no Senado

Porta-voz indicou que presidente não cederá a comentários de parlamentares sobre como governa, e quer velocidade na aprovação por senadores

Andre Borges/Esp. MetrópolesAndre Borges/Esp. Metrópoles

atualizado 12/08/2019 19:33

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) espera uma aprovação rápida da reforma da Previdência no Senado, sem alterações no texto. No entanto, não está disposto a ceder a críticas públicas de parlamentares envolvidos nesse processo, segundo informou o porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros, nesta segunda-feira (12/08/2019).

O relator da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), afirmou em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo que Bolsonaro deveria evitar falas polêmicas para não atrapalhar a tramitação da proposta.

“O senhor presidente confia na responsabilidade dos senhores senadores em aprovar, no menor tempo possível, a Previdência. Fora disso, comentários de eventuais autoridades de quaisquer que sejam os poderes, ele não está levando em consideração nesse momento”, afirmou.

Capitalização
De acordo com Rêgo Barros, o governo estuda como implementar um sistema opcional de capitalização à Previdência. “Para os mais jovens, para que tenham uma poupança garantida em seu nome para a aposentadoria”, explicou a intenção.

Qualquer eventual mudança no texto em andamento, porém, ficará sob responsabilidade dos senadores.

Últimas notícias