O presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Wallace Bastos, pediu demissão do cargo no fim da tarde desta segunda-feira (14/1). À frente do órgão desde maio de 2018, Bastos deixa a presidência afirmando que “lutou pelo fortalecimento institucional e recomposição da força de trabalho do órgão”. Ele já assinou sua exoneração.

Com a saída de Bastos, abre-se caminho para a nomeação oficial de Franklimberg Ribeiro de Freitas, o que pode acontecer ainda nesta segunda-feira. Ele é o nome indicado por Damares Alves, ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, pasta à qual a Funai agora está vinculada. O general comandou o órgão até abril de 2018, quando foi demitido pelo então presidente da República, Michel Temer (MDB), após pressão da bancada ruralista do Congresso Nacional.

Demais saídas na Funai
Diretora de Proteção Territorial da Funai, Azelene Inácio foi “exonerada” na última terça-feira (8/1). Na tarde desta segunda (14), no entanto, a servidora estava na sala da direção da Funai, trabalhando “normalmente”.

A demissão de Azelene Inácio foi confirmada pelo Ministério da Justiça e da Segurança Pública, depois de o blog da jornalista Andreia Sadi ter procurado a pasta para questionar sobre uma investigação do Ministério Público Federal a respeito da servidora. Mesmo assim, até agora, a exoneração não foi publicada no Diário Oficial da União (DOU).