Porta-voz: Weintraub poderá explicar temas importantes na Câmara

Planalto minimizou derrota sofrida no Parlamento, onde Centrão e oposição de uniram e chamaram ministro da Educação para explicar cortes

José Dias/PRJosé Dias/PR

atualizado 14/05/2019 21:24

O porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, minimizou na noite desta terça-feira (14/05/2019) a derrota que o governo sofreu na Câmara no fim da tarde com a aprovação de um requerimento para convocar o ministro da Educação, Abraham Weintraub, após uma articulação bem-sucedida da oposição e do Centrão.

O ministro terá que ir ao Congresso já nesta quarta-feira (15/05/2019) para explicar os cortes nos orçamentos das universidades federais. “O governo entende com naturalidade fatos que ocorrem no Congresso e a convocação do ministro da Educação permite que ele explique mais uma vez temas que são de importância para a sua área”, afirmou.

Além da derrota, Bolsonaro também teve que resolver outro tema espinhoso nesta terça. Ele recebeu deputados da bancada evangélica e lideranças religiosas em seu gabinete para tratar da recente polêmica sobre uma possível taxação das igrejas.

O secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, se reuniu com o presidente previamente e participou do encontro com os parlamentares.

No fim do mês passado, Cintra chegou a declarar em uma entrevista que um novo tributo federal poderia ser cobrado de igrejas evangélicas. A possibilidade alvoroçou a bancada evangélica, que se posicionou contra a iniciativa.

Ruídos
Rêgo Barros negou que haja problemas entre o presidente e o ministro da Secretaria de Governo, Santos Cruz. Os dois se reuniram nesta terça. “Bolsonaro recebe naturalmente todos os ministros e hoje recebeu Santos Cruz”, disse o porta-voz. De acordo com ele, as supostas críticas que o ministro teria feito a Bolsonaro são “assunto passado”.

O porta-voz voltou a dizer também que Bolsonaro apoia o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, para uma eventual indicação ao Supremo Tribunal Federal. “O presidente reforça a admiração por Moro e o qualifica para assumir cargo no STF eventualmente”, disse. No fim de semana, o presidente afirmou que havia prometido ao ministro a próxima vaga da Suprema Corte

Mundo
Ainda de acordo com o porta-voz, Bolsonaro falou por telefone com o presidente da Argentina, Maurício Macri, nesta terça, mas ele afirmou não ter detalhes da conversa. Macri enfrenta uma acirrada campanha eleitoral em seu país e disputa a reeleição com a ex-presidente Cristina Kirchner.