Porta-voz: Bolsonaro não pretende rever ações da Comissão da Verdade

Mesmo assim, segundo Otávio do Rêgo Barros, o presidente não concorda com a maioria das ações do colegiado

José Dias/PRJosé Dias/PR

atualizado 31/07/2019 20:05

“O governo não pretende rever ações da Comissão da Verdade, embora o presidente [Jair Bolsonaro] não concorde com a maioria delas “, disse o porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros, no início da noite desta quarta-feira (31/07/2019).

Questionado sobre a decisão da Justiça em intimar o presidente Jair Bolsonaro (PSL) e seu o filho e deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para se manifestarem sobre a possível indicação do parlamentar para a Embaixada do Brasil nos Estados Unidos, o porta-voz disse apenas que o presidente não recebeu ainda a deferida intimação.

Eventual desmatamento
Mais cedo, o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL) havia dito, durante visita a Anápolis (GO), que o governo iria divulgar dados reais sobre o desmatamento no país ainda nesta quarta.

Questionado sobre o assunto, o porta-voz afirmou que técnicos estiveram reunidos durante a tarde para tratar de eventual desmatamento. “Posteriormente, os dados serão divulgados. São dados que vão justificar o posicionamento do senhor presidente”, completou Rêgo Barros.

Redução dos juros
O porta-voz também afirmou que o presidente está “bastante satisfeito” com a redução da Selic de 6,50% para 6,00% ao ano. A decisão foi tomada por unanimidade pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central nesta quarta.

“Ele (Bolsonaro) está bastante satisfeito com isso”, disse o Rêgo Barros. “O presidente vem advogando, já de algum tempo que isso (redução da Selic) seria muito interessante para a economia”, afirmou.

Rêgo Barros considera que o Banco Central “vem avançando no sentido” de reduzir a taxa de juros. “Temos a expectativa positiva que isso possa reverberar em prol da sociedade, em prol da economia”, completou. (Com Agência Estado)

Últimas notícias