Onyx sobre assessor que usou avião da FAB: “Nada a ver comigo”

Ministro estava de férias quando Santini, então número dois da Casa Civil, usou avião da FAB para encontrar comitiva de Bolsonaro na Índia

mike sena/ metrópolesmike sena/ metrópoles

atualizado 14/02/2020 13:52

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), negou que a crise provocada por José Vicente Santini, seu adjunto na Casa Civil, tenha qualquer relação com a sua saída da pasta, nessa quinta-feira (13/02/2020). Santini usou avião da Força Aérea Brasileira (FAB) para ir de Davos, na Suíça, até a Índia, onde se encontrou com a delegação brasileira que acompanhava a visita do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao país.

“Não tem nada a ver, o Bolsonaro é muito tranquilo com isso. Aquele episódio foi solucionado pelo presidente, não tem nada a ver comigo. Foi resolvido, absorvido e solucionado”, comentou Onyx em entrevista à Rádio Gaúcha nesta sexta-feira (14/02/2020).

O uso da aeronave rendeu a Santini a demissão do cargo que ocupava na Casa Civil. O mandatário da República considerou “inadimissível” o deslocamento em avião oficial da FAB.

Santini ganhou novo cargo um dia após ser demitido por Bolsonaro. O ex-secretário executivo da Casa Civil foi conduzido à função de assessor especial da Secretaria de Relacionamento Externo. A recontratação, porém, foi cancelada por Bolsonaro, e Santini sequer chegou a ocupar o novo posto.

Últimas notícias