Novo presidente da Apex vai rever ato de antecessor relâmpago

Mário Vilalva dará atenção especial às demissões e contratações

Reprodução / TwitterReprodução / Twitter

atualizado 11/01/2019 15:24

Ao saber que Alex Carreiro se recusava a deixar a presidência da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) após ser demitido pelo chanceler Ernesto Araújo, um importante auxiliar de Bolsonaro disparou: “Isso é fácil de resolver. Só fica sentado se a gente quiser”. No fim da noite, Carreiro foi exonerado pelo Twitter. Ele durou uma semana no cargo.

Quando assumir a agência, Mário Vilalva, escolhido por Ernesto Araújo para o posto, vai rever os atos de Carreiro. Será dada atenção especial às demissões e contratações, que foram o estopim da crise.

Carreiro foi nomeado no dia 3 de janeiro. Na quarta-feira (9/1), o ministro Ernesto Araújo publicou em sua conta no Twitter o pedido de exoneração do subordinado e notícias sobre o possível substituto para o comando da Apex.

No dia seguinte, quinta-feira (10), depois de desmentir o anúncio de Araújo, de que teria pedido demissão da agência, Carreiro encontrou-se com o presidente Jair Bolsonaro (PSL) e reafirmou sua intenção de permanecer na direção da agência.

No entanto, a tentativa do ex-gestor de buscar o apoio do mandatário do país foi em vão. Ainda na quinta-feira, o Palácio do Planalto confirmou que Carreiro não permanecerá no comando da Apex, sendo substituído pelo embaixador Mario Vilalva.

Últimas notícias