*
 

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, procurou afastar de si a figura de “salvador da pátria”, durante encontro com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, nesta quarta-feira (7/11).

A reunião se deu logo depois de Bolsonaro afirmar ser contra o reajuste salarial para o Judiciário.

Na ocasião, porém, o presidente eleito apontou a necessidade de harmonia entre os Três Poderes e ainda afirmou: “não podemos errar”. Questionados sobre a perspectiva de análise pelo Senado de propostas para reajustar o salário de ministros do STF, Bolsonaro e Toffoli não responderam.

“Nenhuma pessoa sozinha vai salvar nossa pátria”, disse Bolsonaro.”Somos sabedores da nossa responsabilidade. Juntos buscaremos soluções para o Brasil”, acrescentou o presidente eleito.

Após ouvir de Toffoli que os maiores desafios do país são o equilíbrio fiscal, a questão previdenciária e a segurança pública, Bolsonaro afirmou que as autoridades devem procurar solucionar esses problemas “o mais rápido possível”.

Toffoli presenteou Bolsonaro com um exemplar comemorativo da Contituição e um livro com fotos e textos sobre a Assembleia Nacional Constituinte.

O general Augusto Heleno, futuro ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), participou da reunião. Antes de uma conversa reservada, o presidente eleito e Toffoli posaram para imagens no Sala Nobre do STF. O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL) e o vereador licenciado, Carlos Bolsonaro, filhos do presidente eleito, também estavam presentes.