“Não acredito que a eleição vai mudar o Brasil”, diz Barbosa a jornal

O ex-ministro da Suprema Corte disse não ver glamour no poder. Segundo ele, palácios nunca o atraíram

NELSON JR./ SCO/ STF (27/02/2014)NELSON JR./ SCO/ STF (27/02/2014)

atualizado 09/05/2018 17:03

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa afirmou, em entrevista ao jornal Valor Econômico, que os políticos criaram um sistema de maneira a beneficiar eles mesmos, no qual o cidadão brasileiro é refém, e não há como mudá-lo. O ex-magistrado disse não acreditar em mudanças no país com as eleições de outubro, diante dos graves problemas sociológicos, históricos, culturais e econômicos.

Após anunciar pelo Twitter a desistência de sua candidatura à Presidência da República, o ex-ministro contou ao jornal não ter ambição pelo poder, nem disposição para disputar as eleições. “Não vejo glamour na vida de quem tem poder nem apego aos palácios. Tudo aquilo que leva os políticos a conquistar o poder nunca me atraiu”, pontuou Barbosa ao Valor.

Sobre a sucessão presidencial, afirmou temer o aprofundamento das desigualdades; a união de grupos indiferentes a esse fato e o domínio do processo eleitoral por quem não se importa com a precarização do país. “Se uniriam contra mim, não tenho dúvidas”, destacou o ex-togado do STF.

Barbosa evitou comentar sobre a atuação do Judiciário em processos envolvendo o ex-presidente Lula. Para ele, o Brasil tem questões mais graves e que não estão sendo discutidas. “É um equívoco nacional achar que o futuro da nação está vinculado a este ou aquele processo judicial”, resumiu. De acordo com o ex-ministro, um bom presidente é aquele que esquece os tribunais e deixa o Judiciário exercer seu poder.

Últimas notícias