*
 

Na tarde desta terça-feira (6/11), a assessoria de imprensa que cuida da transição entre os governos de Michel Temer (MDB) e Jair Bolsonaro  informou que Sérgio Moro poderia fazer parte dos grupos de trabalho no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB).

O magistrado – que ficou conhecido por sua atuação na Operação Lava Jato – está de férias e veio a Brasília para as primeiras reuniões com os futuros integrantes do governo federal nesta quarta-feira (7). O presidente eleito, Jair Bolsonaro, está cumprindo agendas com autoridades e se encontrou com Moro no CCBB na parte da tarde.

Também na terça-feira, foi confirmado o nome da primeira mulher que vai compor a equipe de transição. Trata-se da coronel do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal e especialista em segurança pública Márcia Amarilio da Cunha Silva. Mais três mulheres foram confirmadas para fazer parte do grupo: as tenentes do Exército Sílvia Nobre Waiãpi e Liane de Moura. Waiãpi é a primeira mulher indígena a integrar a força terrestre. A terceira é Clarissa Costa Longa e Gandour, doutora em economia. Elas serão anunciadas por meio de publicação no Diário Oficial da União (DOU).

De acordo com a assessoria de imprensa da equipe de transição, outras mulheres poderão fazer parte do grupo. A comissão de Bolsonaro foi muito criticada devido ao fato de que os primeiros 27 nomes publicados no DOU para a troca de informações com o governo Temer todos eram homens. No total, o time escolhido pelo presidente eleito terá 50 integrantes remunerados.