*
 

Indicado a ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro anunciou mais dois nomes para a sua equipe. Adriano Marcos Furtado será o novo diretor da Polícia Rodoviária Federal (PRF). O advogado Luciano Benetti Timm irá para a Secretaria Nacional de Defesa do Consumidor.

O anúncio foi transmitido a jornalistas nesta sexta-feira (7/12), no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília. Na semana que vem, Moro vai anunciar o último nome do primeiro escalão: será o do secretário nacional de Justiça.

“A PRF que tem efetuado papel importante no âmbito não só da segurança do tráfego, cuidando também do trânsito e resolvendo as questões atinentes a essas duas atividades, mas tem sido importante componente no sistema de segurança pública do país. Para ilustrar o papel desempenhado durante a greve dos caminhoneiros”, destacou Moro. Furtado é Superintendente da Polícia Rodoviária Federal no Paraná.

Sobre o advogado Luciano Benetti Timm, o futuro ministro da Justiça diz esperar uma atuação maior na solução de conflitos entre consumidores e fornecedores, evitando o aumento de disputas em causas individuais. Timm é doutor e mestre pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e bacharel em direito (1994) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).

Na terça-feira (4), Moro divulgou outros dois nomes da sua futura equipe. O secretário-executivo da pasta será Luiz Pontel, delegado responsável pela primeira prisão do doleiro Youssef. E para a Secretaria Nacional de Segurança Pública, o escolhido foi o general da reserva Guilherme Theophilo.

Equipe
Outros profissionais confirmados por Moro para o futuro governo são os de Maurício Valeixo, indicado como futuro diretor-geral da Polícia Federal, e Érika Marena, escolhida para chefiar o Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI).

Também compõem o time do Ministério da Justiça e Segurança Pública o delegado aposentado Rosalvo Franco, ex-superintendente da PF no Paraná, e Fabiano Bordignon, delegado-chefe da PF em Foz do Iguaçu.

O auditor fiscal Roberto Leonel de Oliveira Lima, chefe da área de investigação da Receita Federal em Curitiba, também integra o grupo de transição a convite de Moro.