*
 

Em meio à preocupação de alguns brasileiros sobre o modo como o futuro presidente, Jair Bolsonaro (PSL), comandará o país, o futuro ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, disse não ver no presidente eleito um “risco para a democracia”. A informação é do jornal O Globo.

“Não vejo no presidente eleito um risco de autoritarismo ou risco de democracia”, declarou Moro em Madri, durante uma série de conferências de personalidades de direita latino-americanas. Ele participou nesta segunda-feira (3/12) de um seminário promovido pela Fundação Internacional para a Liberdade, presidida pelo Nobel de Literatura peruano Mario Vargas Llosa.

Os críticos de Bolsonaro consideram o presidente eleito um risco para a democracia por sua nostalgia da ditadura militar, embora tenha prometido durante a campanha ser “um escravo da Constituição”. Moro diz que aceitou a proposta de integrar a Esplanada dos Ministérios no governo Bolsonaro por ver uma oportunidade de impulsionar a luta contra a corrupção no Brasil.

De acordo com a reportagem, o ex-juiz disse também não temer que Jair Bolsonaro adote uma política discriminatória contra as minorias depois de suas declarações durante a campanha presidencial.