Molon: governo “blefa” ao dizer que tem 340 votos para Previdência

A oposição se reúne na tarde desta terça-feira (09/07/2019) e a tendência é a de manter a obstrução no plenário

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 09/07/2019 18:26

O líder da oposição na Câmara dos Deputados, Alessandro Molon (PSB-RJ), ressaltou que o governo “blefa” ao dizer que tem cerca de 340 votos para aprovar a reforma da Previdência. Assim, não há número suficiente para dar início à votação da matéria ainda nesta terça-feira (09/07/2019).

“O que percebemos é que o governo não tem votos para aprovar a matéria e por isso propõe jogar a votação para esta noite ou amanhã [quarta-feira]”, afirmou. Molon alega que “talvez” o governo ainda aposte na liberação de emendas para conseguir reunir um maior número de votos favoráveis ao texto.

“Pelo visto não liberou de todos os parlamentares que quer contar para a votação. O governo blefa, diz que tem votos, mas não tem”, acrescentou. Com isso, o grupo sinaliza que tende a testar o poder de articulação do governo nesta sessão.

Para decidir os trâmites a serem seguidos pelo grupo, oposicionistas se reúnem nesta tarde na liderança da minoria da Câmara. Embora a reunião ainda não tenha chegado ao fim, Molon afirma que a tendência é manter a obstrução no plenário.

Ou seja, não devem aceitar a proposta feita pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), na reunião de líderes desta manhã, para retirarem os requerimentos de obstrução em troca de cinco horas de debates ao colegiado. O líder teme que, se aceitarem o acordo, o plenário fique vazio e nenhum deputado escute os discursos contrários à reforma.

Últimas notícias