*
 

Michel Temer iniciou seu primeiro discurso como presidente em exercício por volta das 17h40 desta quinta (12/5). Durante sua fala, Temer garantiu que não irá acabar com os programas sociais e que, neste momento, é necessário resgatar a credibilidade do Brasil.

Pouco antes de perder a fala e ficar rouco por um instante, Michel Temer falou sobre a importância de se reconstruir os fundamentos da economia e usou o termo “democracia da eficiência”. Ele garantiu que o Banco Central irá continuar tendo todas as suas prerrogativas.

O diálogo é o primeiro passo para enfrentarmos os desafios para avançar e garantir a retomada do crescimento. Ninguém, absolutamente ninguém, individualmente, tem as melhores receitas para as reformas que precisamos realizar"
Michel Temer

Michel Temer declarou, ainda, “respeito institucional” à Dilma Rousseff. Ao final, desejou “um bom Brasil a todos nós”.

Enquanto o anúncio ocorria no salão interno do Palácio do Planalto, manifestantes tentavam entrar no local pela rampa principal.

Michael Melo/Metrópoles

Confira, a seguir, os escolhidos por Temer: 

– Gilberto Kassab, ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações
– Raul Jungmann, ministro da Defesa
– Romero Jucá, Planejamento, Desenvolvimento e Gestão
– Geddel Vieira Lima, ministro-chefe da Secretaria de Governo
– Sérgio Etchegoyen, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional
– Bruno Araújo, ministro das Cidades
– Blairo Maggi, ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
– Henrique Meirelles, ministro da Fazenda
– Mendonça Filho, ministro da Educação e Cultura
– Eliseu Padilha, ministro-chefe da Casa Civil
– Osmar Terra, ministro do Desenvolvimento Social e Agrário
– Leonardo Picciani, ministro do Esporte
– Ricardo Barros, ministro da Saúde
– José Sarney Filho, ministro do Meio Ambiente
– Henrique Eduardo Alves, ministro do Turismo
– José Serra, ministro das Relações Exteriores
– Ronaldo Nogueira de Oliveira, ministro do Trabalho
– Alexandre de Moraes, ministro da Justiça e Cidadania
– Mauricio Quintella, ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil
– Marcos Pereira, Ministério da Indústria e Comércio e Serviços
– Fabiano Augusto Martins Silveira, ministro da Fiscalização, Transparência e Controle (ex-CGU)
– Fernando Bezerra Filho – Ministro de Minas e Energia
– Helder Barbalho – Ministro da Integração Nacional

 

Com informações da Agência Brasil

 

 

COMENTE

Michel Temer
comunicar erro à redação

Leia mais: Política