*
 

Compadre, amigo e correligionário do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, o deputado distrital Chico Vigilante (PT) recebeu a notícia do pedido de prisão do companheiro com revolta. “Mergulhamos na ditadura das togas. Hoje, qualquer juizeco pode determinar uma prisão”, afirmou.

Vigilante se emocionou e chorou após ser informado da decisão do juiz Sérgio Moro. “É o ato mais criminoso praticado no Brasil. Senti a mesma dor quando perdi minha mãe”, declarou ao MetrópolesO distrital ainda disse que, se pudesse falar com Lula neste momento, recomendaria ao amigo “não se entregar”.  

A relação entre os dois petistas, que têm fortes ligações com os movimentos sindicais, é antiga. “Lula e Marisa batizaram meu filho mais velho, que hoje está com 33 anos. Esperei ele crescer um pouco para escolher os padrinhos, e ele quis o Lula e a Marisa”, contou.

Sem eleições, ou confronto direto
Para Vigilante, a decisão de Sérgio Moro afeta diretamente o partido. “De maneira muito dura, estou tomando uma posição de defender, em todos os fóruns do PT, que, enquanto não houver democracia no Brasil, o partido não participe de eleições”, disse. Para o distrital, não adianta eleger prefeito, governador ou presidente se “qualquer juiz pode prendê-los”. “Ou se acaba com as eleições ou vamos para o confronto direto”.

Lula foi condenado a 12 anos e 1 mês pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá (SP). Nesta quinta-feira (5), Moro cumpriu decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), que expediu ofício informando o exaurimento da segunda instância.  

No despacho, Sérgio Moro estipulou prazo até as 17h de sexta-feira (6) para Lula se apresentar, de forma voluntária, à Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR).

Horas após a decisão, Vigilante gravou um vídeo sobre a decisão de Moro. “Conheço o Lula há 40 anos e sei que ele é incapaz de desviar qualquer centavo de quem quer que seja”.

Veja: