*
 

O ex-ministro Guido Mantega admitiu à Polícia Federal (PF) que se encontrou com o empresário Joesley Batista no Ministério da Fazenda, quando comandava a pasta, mas negou que fosse para tratar de ilegalidades ou favorecimento à JBS. A informação é da GloboNews.

O político prestou depoimento à PF em São Paulo, no dia 29 de maio, sobre supostos benefícios concedidos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) à JBS. Mantega propôs atuar como uma espécie de colaborador das investigações que apuram suspeitas de irregularidades em negócios bilionários do banco com empresas.

Antes de ser ministro da Fazenda, Mantega foi presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento de novembro de 2004 a março de 2006.

“Como ministro da Fazenda, o declarante participou de reuniões com o empresário Joesley, nas dependências do ministério, em Brasília, assim como no prédio do Banco do Brasil em São Paulo, pois eram os locais onde o declarante atendia os empresários”, diz trecho do documento referente ao depoimento de Mantega.

Joesley Batista
As diligências têm base na delação de Joesley Batista. Segundo o empresário, o ex-ministro da Fazenda interferia para que o BNDES concedesse empréstimos à JBS. Ainda conforme relatou, o então presidente do banco, Luciano Coutinho, era contra a liberação do dinheiro.