Mais polêmica no Senado: em vez de 81, 82 votos foram computados

Alguns parlamentares queriam anular registro extra e outros, refazer a votação. Escrutinadores foram por nova eleição

Michael Melo/MetrópolesMichael Melo/Metrópoles

atualizado 02/02/2019 17:16

Em vez de 81, 82 votos foram registrados no plenário do Senado Federal, o que pode impugnar a votação realizada na tarde deste sábado (2/2). Depois de consultar escrutinadores, o presidente da sessão, José Maranhão (MDB-PB), determinou a destruição de todas as cédulas eleitorais e convocou nova votação.

Candidato a presidente, o senador Espiridião Amin (PP-SC) fizera questão de ordem para que um juiz eleitoral fosse à Casa para se pronunciar sobre a melhor solução. Outros parlamentares sugeriram só anular o registro a mais e há outro grupo que queria cancelar a votação e dar início a um novo processo eleitoral.

Após reunião dos delegados eleitorais designados pelos partidos, ficou definido que o melhor era repetir o processo eleitoral. O plenário se revoltou por não ter sido consultado, mas, frente à destruição das cédulas, não houve o que fazer. Os 81 senadores já estão votando novamente. Mas a sessão agora é tumultuada.

Últimas notícias