Maia pede que apoiadores da reforma parem de atacar a oposição

O deputado carioca passou o dia em negociação com lideranças partidárias para tentar um acordo em relação aos destaques

Hugo Barreto/MetrópolesHugo Barreto/Metrópoles

atualizado 11/07/2019 18:49

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pediu, nesta quinta-feira (11/07/2019), aos parlamentares que apoiam a reforma da Previdência que parem de atacar a oposição. O deputado disse que “não interessa criar conflitos que não sejam referentes à matéria [votação]”.

O deputado carioca passou o dia em negociação com lideranças partidárias para tentar um acordo em relação aos destaques, sobretudo sobre a proposição do PDT, que altera a idade mínima e o tempo de contribuição para professores.

A sugestão ganhou força no plenário e poderia afetar o impacto fiscal do projeto, estimado em R$ 1 trilhão em 10 anos. Em relação a isso, um entendimento estava “praticamente fechado”, informou o líder do PDT, André Figueiredo (CE).

Com receio de desidratar o texto-base aprovado na noite de quarta (10/07/2019), o relator da proposta de emenda à Constituição (PEC) 6/2019, Samuel Moreira (PSDB-SP), pediu que parlamentares tenham cuidado com as emendas que serão analisadas pela Casa. “São destaques que podem destruir a reforma que foi aprovada ontem [quarta-feira]”, disse.

Na expectativa do governo, só devem ser aprovadas proposições que tiveram entendimento entre o Centrão e Maia. Como é o caso do texto que muda as regras de aposentadoria para policiais federais, rodoviários, legislativos, agentes penitenciários e agentes socioeducativos e a matéria que altera os cálculos de benefício dado às mulheres.

Últimas notícias