*
 

Durante quase três horas, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), recebeu líderes de confederações e centrais sindicais, além do presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga, para um almoço na residência oficial, no Lago Sul. A ideia do encontro, que terminou com um “Parabéns para Você” – Maia completa 48 anos nesta terça-feira (12/6) –, era debater a geração de novos empregos na economia brasileira.

Líderes dos partidos na Câmara também estiveram presentes na busca de pautas que possam diminuir o desemprego no país, no entanto, mais uma vez, saíram sem algo concreto. Paulo Pimenta (PT-RS), Baleia Rossi (MDB-SP), Rodrigo Garcia (DEM-SP), Rogério Marinho (PSDB-RN), Orlando Silva (PCdoB) e Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) nem comentaram a pauta do evento.

Paulinho da Força (SD-SP), que tem evitado falar com a imprensa desde que teve seu nome citado na Operação Registro Espúrio, deflagrada pela Polícia Federal, dessa vez falou. Mas afirmou apenas que as entidades e a Casa vêm pensando em ações paliativas como, por exemplo, aumentar o número de parcelas do seguro-desemprego, ou colocar em votação a diminuição da alíquota do imposto de renda.

De novidade mesmo, apenas mais uma comissão formada pela Casa. “O presidente vai manter esse grupo de empresários e trabalhadores, com gente da oposição e do governo, para construir um programa e fazer com que a Câmara vote projetos e faça o país voltar a crescer”, afirmou Paulinho da Força.

Maia saiu da residência oficial acompanhado do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM-BA). No fim da tarde, receberá o presidente da Petrobras, Ivan Monteiro, no gabinete da Câmara. No mesmo local, partidários e apoiadores estariam preparando uma festa surpresa para o presidente da Câmara.