Justiça determina bloqueio de R$ 32 milhões de Temer e coronel Lima

Decisão se refere à quinta ação penal em que o ex-presidente se tornou réu

Igo Estrela/MetrópolesIgo Estrela/Metrópoles

atualizado 09/05/2019 17:21

O juiz federal Marcus Vinicius Reis Bastos, da 12ª Vara Federal de Brasília, determinou o bloqueio de R$ 32,6 milhões do ex-presidente Michel Temer, de João Baptista Lima Filho (Coronel Lima) e de Carlos Alberto Costa, sócio de Lima. As informações são do Blog da Andréia Sadi.

A decisão é do dia 29 de abril, quando o juiz federal aceitou denúncia no chamado Inquérito dos Portos. Essa foi a quinta ação penal em que Temer se tornou réu – são seis processos até agora. O bloqueio nas contas bancárias foi pedido pelo Ministério Público Federal (MPF).

Segundo o blog, também foi determinado o bloqueio do mesmo valor nas contas das empresas que têm o coronel Lima como sócio, incluindo a Argeplan Arquitetura e Engenharia. O juiz ainda definiu a indisponibilidade de imóveis e veículos de Temer, Lima e Costa, ou seja, eles não podem ser vendidos.

A denúncia envolve crimes de corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro. Para os procuradores, “Michel Temer, auxiliado por João Baptista Lima Filho e Carlos Alberto Costa, dissimulou, de forma reiterada e por intermédio de organização criminosa, a origem ilícita de bens, direitos ou valores provenientes diretamente dos atos de corrupção ora denunciados”.

TRF-2 manda voltarem à prisão
Nessa quarta-feira (08/05/2019) o Tribunal Federal da 2ª Região (TRF-2), no Rio de Janeiro, determinou por 2 votos a 1 a volta de Michel Temer e do coronel Lima à cadeia. Ambos haviam sido presos em março deste ano.

Segundo a Corte, a prisão preventiva é necessária para que eles não atrapalhem o prosseguimento das investigações referentes à construção da usina nuclear de Angra 3.

Eduardo Canelós, advogado de defesa de Temer, disse considerar a decisão uma injustiça sem fundamento: “Não há risco à ordem pública. Embora respeitando, considero isso uma injustiça. Submeter o ex-presidente a uma prisão injusta é desnecessário”, declarou.

Mais tarde, o presidente Michel Temer afirmou, em entrevista, que dormirá em casa, em São Paulo, e se apresentará pela manhã à Justiça. Ele se disse surpreso, porém, tranquilo, com a decisão do TRF-2. “Vou defender meus direitos até o fim”, prometeu o ex-presidente.

Últimas notícias