*
 

O líder do PTB na Câmara, deputado Jovair Arantes (GO), reuniu nesta terça-feira (3/1) um grupo de parlamentares para discutir as estratégias para a sua campanha à presidência da Casa. Em sua primeira declaração pública como candidato, ele fez críticas ao atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que deve concorrer à reeleição.

“Acho que ele (Maia) está rasgando a Constituição e o regimento da Casa. Não é bom para o País ter um presidente sob judice e nós vamos judicializar esse processo”, disse. A possibilidade de Maia concorrer já está sendo contestada no Supremo Tribunal Federal (STF). O argumento dos deputados que são contra a candidatura do democrata é que o artigo 57 da Constituição proíbe a reeleição de presidentes do Legislativo no mesmo mandato.

Maia, por sua vez, argumenta que o veto não se aplica a presidentes de mandato-tampão, como ele, eleito em julho de 2016 para um período de sete meses, após a renúncia do hoje deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). “A Casa está dividida sobre esse assunto, mas a Casa não concorda com casuísmo, e isso é um casuísmo aos moldes da velha ditadura brasileira”, disse.

Jovair afirmou ainda que a sua “candidatura é para valer” e que não está lançando o seu nome para “barganhar” um cargo de ministro no governo do presidente Michel Temer. Para o deputado, Temer não deve usar a reformar que fará no ministério para interferir na disputa. “Essa é uma questão que diz respeito aos deputados, não diz respeito ao presidente Michel Temer, o governo de Michel Temer e todos seus aliados têm que respeitar o resultado das urnas”, disse. Ele, porém, afirmou que, se eleito, vai dar prioridade a pautas do governo, como a aprovação da reforma da Previdência.

Campanha
O líder do PTB na Câmara disse que ainda tem que definir a agenda de campanha, mas que deve viajar pelos Estados para conversar com os demais “512 deputados”. Ele também minimizou o fato de o seu grupo político, o Centrão, ter outro candidato, o deputado Rogério Rosso (PSD-DF). “Vou buscar apoio dos deputados, não dos partidos”, disse.

Jovair também se mostrou favorável à ideia de Rosso de que os candidatos à presidência da Câmara façam um debate. “O debate é importante, porque nós vamos estar elegendo não só o presidente da Casa, mas o vice-presidente da República na linha sucessória. A sociedade tem que saber o que o presidente que vai assumir a partir do dia dois de fevereiro pensa.”

 

 

COMENTE

CâmaraRodrigo Maiareeleição
comunicar erro à redação

Leia mais: Política