*
 

O ministro da  Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, trocará o comando dos Correios para tentar manter o controle da estatal. Segundo a coluna da Andreza Matais, do jornal O Estado de S.Paulo, o objetivo da manobra é transferir o atual presidente da empresa, Carlos Fortner, para a diretoria de operações e ceder o posto de comando a um general.

Segundo a reportagem, o militar que irá chefiar os Correios é o general Juarez Aparecido de Paula Cunha. A escolha foi feita pela patente com mais afinidade e chances de permanecer no novo governo do capitão e presidente eleito Jair Bolsonaro. (PSL)

Ligado a Kassab, Fortner comunicou aos colegas da estatal avisando que a “transição já começou” e informando as mudanças na empresa. A coluna do jornal paulistano teve acesso ao texto: “Eu deixarei a presidência, e o presidente do Conselho, general Juarez, assumirá o posto”, escreveu. Atualmente, o general é presidente do Conselho de Administração dos Correios.

Conforme Carlos Fortner afirmou na mensagem, toda a parte comercial e de agencias ficará sob sua tutela na diretoria. “Haverá mudança do estatuto, simplificando a estrutura”, disse. Ele justifica que seu sucessor, general Juarez, “tem acesso direto à nova cúpula da presidência” e “não haverá ingerência política como hoje” nos Correios.

Aos cuidados do governo!
Como mostrou a reportagem do Metrópoles neste sábado (3/11), a missão de Kassab, junto com os comandantes da Fazenda, Eduardo Guardia, e da Casa Civil, Eliseu Padilha, é convencer Bolsonaro, Guedes e até mesmo o astronauta Marcos Pontes – que assumirá a pasta da Ciência, Tecnologia e Comunicações, à qual os Correios pertencem atualmente – que a empresa vale mais se continuar sob as asas do governo federal.

Na estatal há pouco mais de um ano, o atual presidente dos Correios afirmou nunca ter sido procurado por Bolsonaro nem por ninguém de sua equipe para apresentar o atual quadro da empresa. “Essa mudança de cultura existe aqui dentro, o empregado está focado em ajudar a companhia a ter sustentabilidade. Mas continuamos sendo uma empresa pública e focada no interesse nacional. Só que ninguém sabe sobre isso, é puro desconhecimento”, declarou Fortner.

Outro lado
Questionado pelo Metrópoles sobre a mudança de cargo, Carlos Roberto Fortner, presidente dos Correios, disse ainda não foi comunicado e soube pelos jornais que deverá deixar a presidência da estatal.