Em reunião do PT, Haddad agradece apoio do partido

Sigla discute como será sua atuação na oposição e uma forma de dar "proteção física e retaguarda jurídica" a movimentos sociais

Rovena Rosa/Agência BrasilRovena Rosa/Agência Brasil

atualizado 30/10/2018 15:08

O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad deixou pouco antes das 13h a reunião organizada nesta terça-feira (30/10) pela direção do PT, em São Paulo, para fazer um balanço das eleições deste ano e abrir as discussões sobre a oposição ao governo de Jair Bolsonaro.

O candidato derrotado ao Palácio do Planalto permaneceu na sede nacional do partido por cerca de duas horas e deixou o local sem falar com a imprensa.

Segundo assessores, Haddad fez uma rápida exposição no encontro, no qual agradeceu aos colegas de partido pelo empenho na eleição. De lá, o petista seguiria para casa.

Ainda segundo auxiliares, Haddad deve passar os próximos dias com a esposa Ana Estela, que está em férias, e não deverá visitar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Curitiba nesta semana.

Neste momento, o PT discute a atuação de movimentos sociais como o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) e o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) durante o governo Bolsonaro.

O partido sugere “proteção física e retaguarda jurídica” para esses movimentos. Até o momento, representantes da legenda não esclareceram em detalhes como se daria este apoio.

Últimas notícias