*
 

Após repercussão da entrevista do diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia, sobre inquérito que envolve o presidente Michel Temer, especulou-se sobre sua permanência no cargo. Segovia, no entanto, não pedirá demissão, segundo afirmou ao jornal Estadão.

Conforme noticiado pela agência Reuters, o delegado indicou que a investigação seria arquivada. O chefe da PF disse ter sido mal interpretado sobre suas declarações. Temer é suspeito de beneficiar via decreto a empresa Rodrimar, a qual atua no Porto de Santos.

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), intimou Segovia a dar esclarecimentos sobre a declaração. Entidades como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Federação dos Policiais Federais e a Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais também criticaram a postura do diretor-geral da Polícia Federal.