Dirceu, Cunha e Gim dividem cela no Complexo Médico Penal em Curitiba

Os três compartilham o espaço com o ex-tesoureiro do PT João Vaccari e outros três presos pela Lava Jato

Ricardo Botelho/Especial para o MetrópolesRicardo Botelho/Especial para o Metrópoles

atualizado 21/05/2019 22:06

O ex-ministro José Dirceu, que foi preso novamente na última sexta-feira (17/05/2019), divide a cela em que está no Complexo Médico Penal (CMP) em Curitiba com o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha. As informações são da coluna de Mônica Bergamo, na Folha de S.Paulo.

Ainda segundo a colunista, Dirceu e Cunha compartilham o espaço com o ex-tesoureiro do PT João Vaccari, com o ex-senador Gim Argello e outros três presos.

De acordo com a coluna, todos os 38 detentos da Lava Jato e de outros crimes ligados a corrupção que estão no presídio foram transferidos da Galeria 6 para uma ala do hospital penitenciário do complexo.

Agora, dormem mais dois presos por cela. Os detentos dividem o novo espaço com outras seis pessoas.

A transferência foi feita na última quinta (16/05/2019). Os colchões estão distribuídos no chão e os pertences pessoais, colocados em cima de caixotes, segundo afirma o jornal. Cada cela do espaço, que antes era a enfermaria do hospital, tem um banheiro com um chuveiro e uma privada.

Questões de segurança
Atualmente são 868 detentos no CMP. O presídio foi projetado com 599 vagas, mais 60 no hospital penal. A Galeria 6 já foi ocupada com outros presos do complexo.

O Departamento Penitenciário do Paraná afirma que a transferência foi feita por “questões de segurança” e que o objetivo é que, no futuro, fiquem apenas quatro presos por cela, assegura a coluna.

Últimas notícias