*
 

A J&F declarou, neste domingo (10/9), que seus executivos Joesley Batista e Ricardo Saud “não mentiram nem omitiram informações no processo que levou ao acordo de colaboração premiada”. Em nota, o grupo assinalou que os executivos “estão cumprindo o acordo”.

No texto, a defesa de Joesley Batista e Ricardo Saud enfatiza que ambos “se apresentaram voluntariamente à Superintendência da Polícia Federal, na tarde de hoje (domingo, 10), em São Paulo”.

Joesley e Saud tiveram a prisão decretada pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), a pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, por suposta violação do acordo de delação.

“Em todos os processos de colaboração, os colaboradores entregam os anexos e as provas à Procuradoria e depois são chamados a depor. Nesse caso, Joesley Batista e Ricardo Saud ainda não foram ouvidos”, diz a defesa.

Segundo a nota, no dia 31 de agosto, “cumprindo o prazo do acordo, além dos áudios, foi entregue uma série de anexos complementares, e os dois colaboradores ainda estão à espera de serem chamados para ser ouvidos”.

 

 

COMENTE

delação premiadaprisãojbsJoesley BatistaRicardo Saud
comunicar erro à redação

Leia mais: Política