O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), afirmou, em entrevista publicada jornal Folha de São Paulo neste domingo (3/3), que vai ser candidato à reeleição. O prefeito falou sobre sua posição a respeito do Carnaval e defendeu corte nos gastos públicos para o fomento da folia.

“O Eduardo [Paes, ex-MDB e hoje DEM] assumiu muitos compromissos enormes que tive de honrar: R$ 70 milhões [de verba pública para Carnaval]. No segundo foi para R$ 40 milhões. Nesse abaixou para R$ 30 milhões. Espero que no ano que vem seja menos”, afirmou. “Estou retirando recursos públicos mas garantindo que venham da iniciativa privada. Nesse desmame no Carnaval, ele não perdeu brilho”, completou. 

Crivella foi questionado pela reportagem sobre a opção por não participar da tradicional entrega da chave da cidade ao Rei Momo. Ele respondeu que a tradição deveria se reverter em benefício para a população.

“A cidade do Rio de Janeiro é o epicentro do Brasil de corrupção e violência. Só vamos vencer essa crise com mudanças de costumes. Não cabe mais aos líderes políticos uma dimensão folclórica, carnavalesca do cargo público. Temos que voltar, os homens públicos, a gostar das coisas simples, a dar valor à solidariedade, à humildade, à confiança e à austeridade”, concluiu.