*
 

Possível futura ministra dos Direitos Humanos, da Igualdade Racial e das Mulheres, a pastora evangélica e advogada Damares Alves disse, em entrevista concedida em março deste ano, que as mulheres nasceram para ser mães e que, no modelo ideal de sociedade, elas ficariam apenas em casa, sustentadas pelos homens. As informações são do jornal O Globo.

As afirmações foram registradas em vídeo pelo portal de notícias Expresso Brasil no dia 8 de março deste ano, durante a comemoração do Dia Internacional da Mulher, e disponibilizado quatro dias depois.

Nessa sexta-feira (30/11), o presidente eleito Jair Bolsonaro disse que a assessora do senador Magno Malta (PR-ES) é “forte concorrente” ao comando da pasta, por causa da identificação dela com a pauta dos direitos humanos e da família.

Na conversa com o apresentador Jaufran Siqueira, Damares foi questionada sobre a possibilidade de as mulheres conseguirem conciliar a vida pessoal e a vida pública e, em na resposta, ela descreveu a maneira como gostaria de viver enquanto mulher.

“Me preocupo com a ausência da mulher de casa. Hoje, a mulher tem estado muito fora de casa. Costumo brincar como eu gostaria de estar em casa toda a tarde, numa rede, e meu marido ralando muito, muito, muito para me sustentar e me encher de joias e presentes. Esse seria o padrão ideal da sociedade. Mas, não é possível. Temos que ir para o mercado de trabalho.”

Damares declarou ainda estar preocupada com as crianças cujas mães trabalham fora. Apesar do ideal descrito por ela, de uma sociedade em que apenas os homens trabalhassem, Damares disse durante a entrevista que é possível as mulheres conciliarem as rotinas nas empresas e em casa. Ela criticou também o movimento feminista por criar o que chamou de uma “guerra entre pessoas do sexo feminino e masculino”.

“O que a gente tem visto hoje são as próprias feministas dizendo que não é possível. O que a gente tem visto hoje são elas levantando uma guerra”, afirmou.