*
 

A Camargo Corrêa, uma das grandes empreiteiras do Brasil, negocia delação que pode atingir até 200 políticos. Segundo reportagem da revista “Veja” desta semana, a colaboração com a Procuradoria-Geral da República deve envolver 40 executivos da empresa e engrossar as investigações da Operação Lava Jato. O acordo pode ter a mesma dimensão daquele feito pela Odebrecht.

Tratado como mais uma bombástica megadelação, o acordo com a Camargo Corrêa pode complicar vários nomes do primeiro escalão na Lava Jato, como aliados do presidente Michel Temer e os senadores Renan Calheiros (PMDB) e Romero Jucá (PMDB).

A colaboração da Camargo Corrêa também pode complicar ainda mais o petista Antonio Palocci, tido como um dos principais articuladores nas negociatas entre o partido e a empreiteira.

 

 

COMENTE

Michel TemerOperação Lava JatoRenan CalheirosOdebrechtCamargo Corrêaromero jucáAntonio Palocci
comunicar erro à redação

Leia mais: Política