Enviada especial a São Paulo (SP) – Enquanto Jair Bolsonaro (PSL) exerce a Presidência da República internado no hospital em São Paulo, sem compromissos oficiais na agenda, as articulações do governo acontecem em Brasília nesta segunda-feira (11/2). De manhã, ele compartilhou uma foto fazendo a barba no Twitter: “Vamos à luta”, diz a publicação.

Nesse fim de semana, Bolsonaro avançou seguiu com alimentação pela via oral, por meio de uma dieta cremosa, e teve melhora na pneumonia. A alta médica, fundamental para que as pautas prioritárias trilhem seus caminhos, ainda não está definida e deve ocorrer apenas a partir do meio desta semana.

As visitas permanecem restritas por recomendação médica, mas o presidente esteve mais ativo desde sexta (8), quando recebeu o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, e o subchefe de assuntos jurídicos da Casa Civil, Jorge Oliveira. No sábado (9), Bolsonaro divulgou um encontro com o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Para conversar pessoalmente com o chefe do Executivo, os visitantes precisaram usar máscaras.

O presidente está em tratamento depois de ter sido submetido a uma cirurgia no intestino em 28 de janeiro. Na ocasião, foi retirada a bolsa de colostomia usada pelo político desde o atentado à faca sofrido na campanha eleitoral, em setembro de 2018. Durante a internação, Bolsonaro conduz o Executivo federal de um gabinete improvisado na antessala do quarto onde se recupera.

Capital
Em Brasília, sem a figura do presidente, a equipe do governo aperta o passo para ajustar o texto da reforma da Previdência, que será enviada ao Congresso. O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, vai se reunir com ministros de várias pastas e tem agenda movimentada nesta segunda (11).

O almoço de Onyx será com com o deputado federal major Vitor Hugo, líder do governo na Câmara. Às 17h, no Planalto, a reunião é com o ministro da Economia, Paulo Guedes. Até mesmo o porta-voz do governo, Otávio Rêgo Barros, que costuma fazer suas explanações no hospital em São Paulo, vai falar com a imprensa na capital federal.

No Hospital Albert Einstein, Jair Bolsonaro continua fazendo caminhadas pelo corredor, realizando exercícios respiratórios e de fortalecimento muscular para deixar o local o quanto antes. Tão logo o capitão da reserva possa reassumir as agendas da Presidência em Brasília, a reforma da Previdência deve evoluir. A análise da proposta só deve ocorrer, segundo Rêgo Barros, depois da alta hospitalar.

Procedimento cirúrgico
O procedimento realizado em 28 de janeiro foi comandado pelo médico gastroenterologista Antonio Luiz Macedo. Bolsonaro está internado desde o dia 27 e deve permanecer no hospital até a completa recuperação. Até 29 de janeiro, o general Hamilton Mourão comandou o Palácio do Planalto como presidente em exercício.

Essa foi a terceira vez que Jair Bolsonaro passou por uma cirurgia desde que levou uma facada na barriga, no dia 6 de setembro de 2018. O atentado aconteceu durante agenda da campanha presidencial em Juiz de Fora (MG). Adélio Bispo, responsável pelo crime, foi preso minutos depois e está detido no presídio federal de segurança máxima de Campo Grande (MS).