O presidente Jair Bolsonaro (PSL) se reuniu, neste domingo (20/1), com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e com seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

O presidente embarca na noite deste domingo para Davos, na Suíça, onde participa do Fórum Econômico Mundial. O evento começa na terça-feira, 22, e vai até o dia 25. Cerca de 70 países e representantes de diversos setores da economia estarão reunidos – são 3.500 participantes. O fórum será o palco da estreia internacional do presidente Jair Bolsonaro.

Temas como a abertura ao comércio internacional, o combate à corrupção e a disposição de fazer as reformas estruturantes devem estar na pauta do discurso do presidente brasileiro.

Além de Bolsonaro, participam os ministros Paulo Guedes (Economia), Sérgio Moro (Justiça) e o chanceler Ernesto Araújo. Eduardo Bolsonaro também acompanhará a comitiva, bem como o governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

Vice-presidente
O vice-presidente, Hamilton Mourão, não vai para Davos. Ele deve comandar o país interinamente no período. Neste domingo, ele deu uma declaração à agência de notícias Reuters dizendo que o caso de Flávio Bolsonaro não tem impacto no governo. “É preciso dizer que o caso Flávio Bolsonaro não tem nada a ver com o governo”, disse Mourão, afirmando ser necessário esperar a conclusão das investigações.

Assim como fez na última semana, o vice pedalou com sua esposa na capital federal. O Estado flagrou parte do trajeto realizado pelo vice.