*
 

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, embarcou por volta das 13h40 no avião a Força Aérea Brasileira (FAB) com destino ao Rio de Janeiro, após passar três dias em Brasília, dando início aos trabalhos do governo de transição em encontros com autoridades dos Três Poderes: Legislativo, Executivo e Judiciário.

A semana de Bolsonaro em Brasília foi cercada de um forte esquema de segurança, que ficou evidente em seus deslocamentos entre um compromisso e outro. No Legislativo, Bolsonaro participou de uma sessão solene em homenagem aos 30 anos da Constituição Federal, na qual ele teve contato com colegas parlamentares da Câmara e do Senado.

A agenda oficial também incluiu uma conversa com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, e com o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João Otávio Noronha. Ele também se encontrou com o presidente da República, Michel Temer, e visitou autoridades militares.

Bolsonaro definiu e anunciou a futura ministra da Agricultura, Tereza Cristina. Entre os avisos, o presidente eleito disse ainda que vai extinguir o Ministério do Trabalho e embaixadas brasileiras por ele consideradas “ociosas”.

Antes da posse, no dia 1º de janeiro de 2019, Bolsonaro voltará à capital para a diplomação, marcada para o dia 10 de dezembro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Até lá, ele deve permanecer no Rio de Janeiro, em sua casa na Barra da Tijuca.

Bolsonaro também tem uma cirurgia marcada para o próximo dia 12 de dezembro para a retirada da bolsa de colostomia que ele usa desde que foi submetido a um cirurgia, após o atentado à faca sofrido no primeiro turno da campanha, na cidade mineira de Juiz de Fora.