Bolsonaro elogia proposta de Moro de ampliar banco de perfil genético

Objetivo é facilitar solução de crimes que deixam vestígios corporais, como estupro. Ministro espera um acervo completo até fim do governo

DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDODIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO

atualizado 20/04/2019 18:39

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse, por meio de sua conta no Twitter, neste sábado (20/04/19), que um de seus pontos favoritos do pacote anticrime apresentado ao Congresso é o que permite a ampliação do Banco Nacional de Perfis Genéticos, que tem o objetivo de identificar crimes que deixam vestígios corporais, como estupro, por exemplo.

A postagem foi feita, originalmente, pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e retuitada pelo chefe do Executivo nacional.

De acordo com o ministro, o banco existente hoje é muito modesto, com cerca de 20 a 30 mil perfis coletados. A intenção, segundo o ex-juiz, é chegar até o final do mandato com um banco completo, com o mapeamento de todas as pessoas condenadas por crime doloso no país.

Moro ainda exemplificou que o Reino Unido possui um banco com 6 milhões de perfis genéticos e os Estados Unidos já têm registrados 12 milhões de criminosos.

Últimas notícias