*
 

O presidente eleito Jair Bolsonaro, em entrevista ao Brasil Urgente, da TV Band, criticou a questão do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), realizado nesse domingo (4/11) em todo o Brasil, que falava sobre uma linguagem secreta utilizada por gays e travestis, chamada de pajubá. O político classificou a prova como “uma doutrinação desacerbada”.

“Um vexame você ver o que cai na prova do Enem, uma doutrinação desacerbada. Vou fazer o possível para fazer o Brasil diferente, construir e desconstruir o que foi feito até o momento. Não tenho implicância com LGBT, mas uma questão de prova que entra na linguagem secreta de gays e travestis não mede conhecimento nenhum”, desabafou o presidente eleito.

Segundo Bolsonaro, o exame deve conter questões que sejam úteis para os brasileiros. “Temos que fazer com que o Enem cobre conhecimentos úteis para a sociedade. Continua o Enem, mas tem que cobrar o que tem a ver com a questão do Brasil e da cultura”, explicou.