*
 

O senador Alvaro Dias (Podemos) foi o terceiro candidato à presidência da República a falar no evento “O futuro do Brasil na visão dos presidenciáveis 2018”, nesta segunda-feira (6/8), em Brasília. Em entrevista coletiva, ele atacou seu ex-partido, o PSDB, e chamou de Arca de Noé a chapa apoiada pelo chamado Centrão e liderada por Geraldo Alckmin.

“Não posso recusar afirmar que é uma Arca de Noé e que ela é a sustentação do sistema atual (político). O maior ajuntamento é esse, construído pelo PSDB”, criticou.

Se eleito, Dias prometeu acabar com o governo de coalizão partidária. “Não faremos governo de base aliada. Não aceitaremos esse conluio partidário. Vamos derrubar esse balcão de negócios, essa Arca de Noé”, acrescentou.

Ele tambem foi questionado sobre o seu mantra de “refundar a República” estando ao lado do PTC, do senador e candidato a governador de Alagoas Fernando Collor de Melo, e do PSC, de seu vice Paulo Rabello de Castro.

Alvaro Dias tentou se descolar da imagem de Collor e defendeu Paulo Rabello de Castro. O ex-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), é um dos alvos da operação Pausare da Polícia Federal, que apura suposta atuação de uma organização criminosa especializada no desvio de fundos de pensão.

“Ele (Collor) nem pediu apoio nem será convidado. O vice (Paulo Rabello) deu todas as respostas e encerrou o assunto. É um inquérito parado porque as respostas foram todas dadas. Ele é ficha limpa”, rebateu.

Além de Alvaro Dias (Podemos), Ciro Gomes (PDT) e Henrique Meirelles (MDB) também participam do debate pela recuperação da economia.

O encontro é realizado pela Coalizão pela Construção, entidade formada por 26 das mais importantes organizações representativas do setor. A candidata Marina Silva (Rede) abriu o evento, seguida por Geraldo Alckmin (PSDB).

Sobre o candidato
Alvaro Dias é um político de tradição no estado do Paraná. Foi governador entre 1987 e 1991, deputado federal e estadual em anos anteriores. Atualmente, ocupa o cargo de senador, para o qual foi reeleito em 2014 com 77% dos votos.

Em 2010, quando ainda integrava o PSDB, ele chegou a ser cogitado como vice de José Serra (PSDB) na disputa pelo Planalto. Naquele ano, ele segurou a decisão até o último momento do registro da candidatura, mas acabou vencido por Índio da Costa (PSD).

Em 2018, Dias terá como vice Paulo Rabello de Castro, do Partido Social Cristão (PSC). Seu anúncio na composição com o Podemos ocorreu na quarta-feira (1º/8). Além do PSC, o Podemos fechou coligação com o PRP e o PTC.