*
 

Na noite de quinta-feira (2/11), três homens foram presos em São José do Rio Preto suspeitos de envolvimento na morte da radiologista Kelly Cristina Cadamuro, de 22 anos, que desapareceu após dar carona a um homem desconhecido. 

Segundo informações da Polícia Civil de São José do Rio Preto (SP), um dos suspeitos confessou ter entrado no grupo de WhatsApp com a intenção de matar e roubar a jovem. De acordo com o delegado Bruno de Paula, os demais acusados foram presos por receptação, pois estavam com partes do carro e o celular de Kelly.

Caso

A radiologista desapareceu durante o trajeto de São José do Rio Preto (SP) para Itapagipe, na noite de quarta-feira (1º/11), quando ia visitar o namorado. O corpo dela foi localizado por policiais militares em um córrego entre Frutal e Itapagipe na quinta-feira (2/11).

A jovem estava seminua e com a cabeça mergulhada em um córrego. A calça que ela usava foi achada a 3km do local onde o corpo foi localizado. O delegado disse que a primeira linha de investigação é latrocínio, mas não descarta a hipótese de crime premeditado.

Câmeras do circuito de segurança de um pedágio em Minas Gerais mostram a passagem do veículo dirigido pela moça. Logo depois, o carro volta, mas com um homem ao volante. O automóvel foi encontrado sem rodas, som e equipamentos, em uma estrada rural entre Rio Preto e Mirassol.

Reprodução

Velório

O corpo da radiologista foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Frutal e encaminhado para uma funerária da cidade após a perícia. O corpo de Kelly será velado nesta sexta-feira (3/11), no Velório Municipal de Guapiaçu. O horário do enterro não foi informado.

 

 

COMENTE

Minas GeraisWhatsAppassassinatoKelly Cristina Cadamuro
comunicar erro à redação