Polícia investiga roupa com sangue de suspeito pelo sumiço de crianças

Lucas Matheus, de 8 anos, o primo dele, Alexandre da Silva, 10, e Fernando Henrique, 11, sumiram no dia 27 após saírem para brincar no Rio

atualizado 13/01/2021 14:10

A mãe e a avó de três crianças desaparecidas desde o último dia 27 entregaram à Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), nesta quarta-feira (13/1), uma sacola com roupas sujas de sangue, encontradas na casa de um homem que chegou a ser apontado por vizinhos como suspeito de envolvimento no sumiço dos menores, de 11, 10 e 8 anos.

Tatiana da Conceição, mãe de Fernando Henrique, de 11 anos, disse ao portal Extra que o material poderá ser usado para um exame de DNA, caso a polícia queira saber se o sangue pertence ou não aos menores desaparecidos.

“Eles disseram que poderão fazer um exame de DNA. Já não sei mais se meu filho está vivo ou não. Fico o tempo todo chorando em casa. Tenho outros dois filhos pequenos que vivem perguntando pelo irmão”, explicou Tatiana.

Já Regina, avó de Lucas e Alexandre, disse que a bolsa de roupas foi encontrada por moradores: “São roupas sujas de sangue. Também havia um caderno com uns desenhos estranhos. Entregamos tudo aqui na DHBF”.

Entenda o caso

Lucas Matheus, de 8 anos, o primo dele, Alexandre da Silva, 10, e Fernando Henrique, 11, sumiram no último dia 27, em Belford Roxo (RJ), após saírem de casa para brincar em um campo de futebol. O caso foi registrado na delegacia e a Polícia Civil apura o desaparecimento.

Nessa terça-feira (12/1), o homem apontado por moradores como suspeito de envolvimento foi ouvido na delegacia. Ele negou o crime e disse ter sido torturado por traficantes do Morro do Castelar, onde moram as crianças desaparecidas.

A DHBF não encontrou provas que ele tivesse tido participação no sumiço dos menores.

Últimas notícias