Polícia Federal mira exploração ilegal de diamantes em terras indígenas

Ao todo, 150 policiais federais cumpriram 53 mandados de busca e apreensão em sete estados e no Distrito Federal

atualizado 24/09/2020 14:38

A Polícia Federal realizou, na manhã desta quinta-feira (24/9), a Operação Crassa para investigar uma organização criminosa dedicada à exploração e ao comércio de diamantes ilegal de diamantes extraídos da Terra Indígena Roosevelt, em Rondônia.

Cerca de 150 policiais federais saíram para cumprir os mandados em Rondônia, Roraima, Mato Grosso, Paraná, Minas Gerais, São Paulo, Piauí e Distrito Federal.

As investigações começaram em 2018, com a prisão em flagrante de três pessoas que carregavam pedras de diamante. Eles haviam se deslocado de São Paulo a Rondônia para adquiri-las. Na ocasião, admitiram que os diamantes eram da Reserva Roosevelt.

Também foi identificado um esquema criminoso que conta com a participação de garimpeiros, lideranças indígenas, financiadores do garimpo, avaliadores, comerciantes e intermediadores que estabelecem a conexão entre os fornecedores e o mercado consumidor nacional e internacional.

0

Últimas notícias