Polícia investiga papel da Record em morte de homem citado como assassino

Polícia de SP pediu à emissora cópia de reportagem que citava homem como "99,9%" responsável por morte de jovem. O suspeito foi executado

atualizado 17/07/2020 20:03

A Polícia Civil de São Paulo pediu à TV Record cópia de uma matéria em que a emissora mostrou imagem de Alécio Ferreira Dias, de 41 anos, como suspeito pela morte de uma mulher de 18. Após a veiculação da foto na emissora, o homem foi assassinado, na segunda-feira (13/7), em Salto (SP).

Na veiculação da matéria, a Record disse que o catador de material reciclado era o principal suspeito de ser um “serial killer”.

“A informação que nos chega é que seria 99,9%, viu Bacci? Certeza de que é este homem, que você tem a foto em mãos, mas que a gente não pode divulgar”, afirmou a repórter Lorena Coutinho ao apresentador Luiz Bacci durante o programa. “A polícia tem praticamente certeza de que é este homem.”

Durante o programa foi divulgada uma foto borrada de Alécio Ferreira Dias. Mesmo assim, ele acabou reconhecido. O apresentador ainda fez apelos para que a população não fizesse justiça com as próprias mãos.

O que diz a Polícia Civil

Em nota enviada ao Metrópoles, a Polícia Civil afirmou : “O homicídio de um homem, 41 anos, é investigado por meio de inquérito policial, instaurado pela Delegacia de Polícia de Salto. O corpo foi encontrado com marcas de tiros, às 23h30, de segunda-feira (13/7), na Rua Álvares Maciel. A vítima era investigada em uma ocorrência de desaparecimento de pessoa, porém sem indiciamento ou pedido de prisão. A autoridade policial oficiou a emissora solicitando cópia da matéria jornalística”.

0

Últimas notícias