*
 

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quinta-feira (5/4), no Aeroporto Internacional de São Paulo, operação para desarticular organização criminosa transnacional que enviava e trazia drogas por meio das chamadas “mulas do tráfico” em voos internacionais.

As investigações tiveram início a partir da prisão de duas passageiras, com drogas nas bagagens, ocorridas em janeiro de 2017, onde foram coletados documentos e informações que possibilitaram a localização e acompanhamento dos integrantes da organização criminosa que atuava nas cidades de Florianópolis, em Santa Catarina; Santa Maria e Porto Alegre, no Rio Grande do Sul; e em São Paulo, no aeroporto internacional.

De acordo com a PF, os criminosos aliciavam as pessoas com a promessa de pagamentos em dólares para que transportassem uma mala até determinado país. As bagagens, geralmente, tinham cocaína escondida. Quando as “mulas” voltavam após um curto período de permanência no pais, já estavam com outra mala, onde criminosos haviam inserido drogas sintéticas.

PF/Divulgação

Mala carregada com metanfetamina

 

Ainda segundo as investigações, o financiador e possivelmente um dos chefes da organização criminosa já está preso em Santa Catarina, acusado pelos crimes de tráfico internacional de drogas e formação de quadrilha. Ele foi preso com 60 mil comprimidos de ecstasy.

Nesta quinta, foi cumprido um mandado de prisão temporária e seis de busca e apreensão em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul. No total, participam da Operação Babel 36 policiais federais. O nome é uma referência ao apelido da pessoa apontada como responsável pelo aliciamento das “mulas do tráfico”.