O massacre de Suzano foi notícia nos maiores jornais internacionais na manhã desta quarta-feira (13/3). A mídia estrangeira não só relatou o ocorrido, mas também trouxe algumas perspectivas sobre o caso no Brasil.

Muitas reportagens, como a do francês Le Monde, apontam que, embora o país tenha altos índices de morte por arma de fogo, tiroteios em escolas são raros. O jornal lembrou do massacre em Goiânia, em 2017. Jornais como o americano The New York Times e o britânico The Guardian ainda lembraram do massacre de Realengo, no Rio de Janeiro, em 2011.

A notícia correu o mundo: dos americanos Washington Post, CNN e Boston Globe, passando pelo argentino Clarín, e pelos europeus Le Figaro, El País, BBC e Deutsche Welle. A Al Jazeera, sediada no Catar, também noticiou o massacre. Veja as manchetes:

Entenda o caso:
Dois atiradores entraram em uma escola na manhã desta quarta-feira (13), na cidade de Suzano, a 50 km de distância de São Paulo, e dispararam contra alunos e funcionários. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, foram atingidas dezenas de pessoas.

As primeiras informações indicavam que os dois atiradores seriam alunos ou ex-alunos da escola, o que ainda não foi confirmado pelas autoridades que apuram o caso.

Morreram, vítimas do ataque, sete crianças, que eram alunos da escola, os dois atiradores e também um funcionário do colégio, cuja identidade ainda não foi revelada. O Corpo de Bombeiros está no local desde a manhã desta quarta-feira (13). No total, 23 pessoas foram encaminhadas a hospitais.