*
 

Falta de comunicação entre as equipes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Polícia Militar (PM) pode ter sido um agravante no confronto que deixou 12 mortos no Ceará, após um ataque a bancos. De acordo com o delegado Gledstone Chaves, titular da 5ª delegacia da PRF, a corporação foi surpreendida ao ser chamada para atender um “acidente” no quilômetro 495 da BR-116, em Milagres. A informação é do jornal O Povo.

De acordo com a reportagem, o delegado criticou a falta de informações repassadas para os outros agentes de segurança, afirmando que uma equipe de apenas dois policiais foi direcionada ao local do confronto – sem saber que se tratava de um assalto a banco.

“Por que não comunicaram a gente? Uma ação como essa envolve todos os policiais. Fomos atender um suposto acidente e poderíamos ter nos deparado com vários bandidos armados”, reclamou o delegado em entrevista à Rádio O Povo/CBN Cariri.

Gledstone questiona se a ação foi mesmo monitorada ou se foi fruto de um flagrante. Ele explica que, normalmente, em operações coordenadas, a Polícia Rodoviária e a Polícia Federal são notificadas e envolvidas. Neste caso, isso não aconteceu. “Se fosse uma coisa coordenada, não teria deixado tantos mortos”, opinou o chefe da delegacia.