Ao tentar fugir de unidade de saúde, Champinha faz enfermeiro refém

Roberto Aparecido Alves Cardoso foi condenado pelo assassinato do casal Liana Friendebach e Felipe Caffé, em 2003

ReproduçãoReprodução

atualizado 04/09/2019 18:29

Roberto Aparecido Alves Cardoso, o Champinha, condenado pelo assassinato, em 2003, do casal Liana Friendebach e Felipe Caffé, tentou fugir na madrugada desta quarta-feira (04/09/2019) da unidade experimental de saúde onde está internado há 12 anos, na zona norte de São Paulo. São informações das revista Veja.

Na época dos assassinatos, Champinha tinha 16 anos. Hoje, ele tem 33 anos.

Ele e outro interno fizeram um enfermeiro refém por volta das 2h. A negociação pela rendição durou cerca de uma hora e ninguém ficou ferido.

O detento vive com outros quatro internos na unidade experimental de saúde localizada no bairro de Vila Maria.

Champinha é mantido sob custódia do estado desde que completou 21 anos e teve que deixar a Fundação Casa, onde ficou internado após confessar a autoria do crime.

Desvio de personalidade
Ao completar a maioridade, porém, a Justiça de São Paulo determinou que ele fosse mantido longe do convívio social após avaliação psiquiátrica atestar desvio de personalidade capaz de colocar outras pessoas em risco.

A defesa de Champinha argumenta em recursos judiciais que sua internação é irregular e aponta erros processuais. Mesmo assim, sucessivas decisões de cortes superiores mantêm sua internação. A mais recente foi em 2015, quando o então ministro do Superior Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki decidiu mantê-lo na unidade de saúde.

Últimas notícias