PM detém seis pessoas acusadas de atear fogo em trilhos de trem no RS

Em Porto Alegre, motoristas e cobradores de ônibus bloquearam as entradas de garagens de coletivos em atos contra a Reforma da Previdência

Hugo Barreto/MetrópolesHugo Barreto/Metrópoles

atualizado 14/06/2019 11:11

Seis pessoas foram detidas por policiais militares acusadas de atear fogo nos trilhos do trem, em Sapucaia do Sul, no Vale dos Sino (RS), na manhã desta sexta-feira (14/06/2019). Segundo a polícia, os detidos (3 homens e 3 mulheres) são servidores da Trensurb que protestavam contra a Reforma da Previdência.

A Trensurb, que interliga seis municípios entre a capital gaúcha e Vale dos Sinos amanheceu com os portões fechados nesta sexta-feira, prejudicando o deslocamento de milhares de passageiros que dependem exclusivamente deste modal de transporte.

Por volta das 7h45, as estações da Trensurb foram abertas para atender os passageiros e não ha cobrança de tarifa até o momento. No entanto, 15 dos 40 trens que integram a empresa estão em operação em horário reduzido.

Com o apoio das Centrais Sindicais, motoristas e cobradores da Viação Teresópolis Cavalhada, situada na zona Sul de Porto Alegre, bloquearam a garagem da empresa e impediram a saída dos coletivos. O protesto ocorreu por volta das 5h desta manhã.

Policiais Militares utilizaram bombas de efeito moral para dispersar os manifestantes que revidaram jogando pedras. Na ação, alguns PMs ficaram feridos e mais de 50 pessoas foram detidas devido aos transtornos causados. Já em frente à garagem da Carris no bairro Paternon, região leste da cidade, a situação foi similar. Grevistas que bloqueavam a saída dos ônibus foram alvejados com jatos de água por policiais militares.

Segundo a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), as garagens das empresas Presidente Vargas e Gasômetro também ficaram bloqueadas. A obstrução ocorreu até as 6h30 desta manhã e agora as linhas de transporte coletivo estão operando normalmente em Porto Alegre, porém com atrasos. A expectativa da Associação dos Transportadores de Passageiros de Porto Alegre (ATP) é que a situação se normalize ainda pelo turno da manhã.

Por volta das 6h45 desta manhã, na zona leste da capital gaúcha, manifestantes realizaram barricadas com queima de pneus na avenida Bento Gonçalves (sentido bairro-centro) prejudicando o trânsito no local.

Na Serra gaúcha, em Caxias do Sul, professores ligados ao CPERS/Sindicato realizaram piquetes desde as primeiras horas desta sexta-feira, 14, em frente às garagens de ônibus em apoio à greve. O grupo é contra a Reforma da Previdência e cortes na Educação.

A Assessoria de Imprensa confirmou à reportagem que todos são servidores da Trensurb e que “no momento, a empresa está avaliando as medidas cabíveis em relação a esses empregados”.

Últimas notícias