PM acusado de atrapalhar investigação do caso Marielle se entrega

Ferreira é policial militar e procurou a Polícia Federal em maio do ano passado. À época, apontou Curicica como uma pessoa interessada na morte da vereadora

Facebook/Reprodução

atualizado 31/05/2019 18:07

Acusado de atrapalhar as investigações sobre a execução da vereadora Marielle Franco (PSol) e do motorista Anderson Gomes, o policial militar Rodrigo Jorge Ferreira, conhecido como Ferreirinha, negociou a rendição nesta sexta-feira (31/05/2019).

Ele se entregou pouco depois das 11h à Delegacia de Homicídios (DH) da Capital, na Barra da Tijuca. O policial militar é integrante da quadrilha de Orlando Curicica e foi acusado em um inquérito da Polícia Federal de atrapalhar as investigações sobre a morte de Marielle Franco e de Anderson, em conjunto com a advogada Camilia Nogueira.

Ferreira é policial militar e procurou a Polícia Federal em maio do ano passado. À época, apontou Curicica como uma pessoa interessada na morte da vereadora.

Para a Polícia Federal, Ferreira e Camila fazem parte de uma organização criminosa que tem interesse em assumir a área dominada pelo miliciano. O relatório foi para análise da procuradora-geral da República, Raquel Dodge.

Ferreirinha foi preso na Ilha de Guaratiba, na zona oeste do Rio de Janeiro. Apesar de ter delatado Curicica, o policial foi preso como integrante do grupo de milicianos.

Além de Ferreirinha, a polícia prendeu outros oito envolvidos e cumpriu mandados de prisão contra sete investigados que já se encontram presos por outros processos.

Últimas notícias