Planalto contrata oficial da PM investigada por arapongagem contra governo do PT

A Presidência da República nomeou na quinta-feira (14/10) uma PM da reserva que foi investigada na CPI da Arapongagem no DF

atualizado 18/10/2021 10:57

Palácio do PlanaltoVinicius Santa Rosa/Metrópoles

A Presidência da República contratou na quinta-feira (14/10) uma tenente-coronel da Polícia Militar do DF investigada na CPI da Arapongagem, em 2012. A militar da reserva Soraya Barbosa Sales de Almeida foi nomeada para atuar como coordenadora-geral de informação da Secretaria Especial de Relações Institucionais da Secretaria de Governo.

O cargo é estratégico e tem como atribuição, por exemplo, supervisionar as respostas das solicitações de informações de responsabilidade da Secretaria de Governo e assessorar o ministro-chefe na interlocução com o Senado Federal e a Câmara dos Deputados.

Em uma escala local, Soraya Barbosa já teve atribuições de inteligência e confiança quando trabalhou na Secretaria de Segurança Pública do Governo do Distrito Federal, na gestão de Agnelo Queiroz (PT). A militar era analista de inteligência, mas foi exonerada devido à suspeita de ela atuar como infiltrada de adversários políticos do então governador do DF.

As investigações conduzidas pela extinta Divisão Especial de Repressão aos Crimes contra a Administração Pública (Decap) identificaram que, em novembro de 2011, a equipe com a qual Soraya atuava teria gravado clandestinamente imagens no gabinete do chefe do Executivo local e entregue a adversários.

O caso virou alvo da CPI da Arapongagem na Câmara Legislativa do DF, que acabou sendo arquivada. Nenhum processo administrativo foi instaurado à época na Polícia Militar. Segundo nota da corporação, “a oficial se encontra na reserva remunerada e por parte da PMDF não há nenhum impedimento para que ela assuma função no governo”. A PMDF respondeu por Soraya. A reportagem não conseguiu resposta da tenente-coronel.

Mais lidas
Últimas notícias