PGR abre seis investigações preliminares contra Bolsonaro junto ao STF

Os documentos são baseados no relatório final produzido pela CPI da Covid, realizada pelo Senado Federal

atualizado 02/12/2021 21:54

PGRDaniel Ferreira/Metrópoles

A Procuradoria-Geral da República (PGR) abriu seis novas investigações preliminares contra o presidente Jair Bolsonaro (PL) baseadas no relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19. Também terão os nomes analisados por supostos crimes ministros e parlamentares relacionados pela comissão.

Os documentos da PGR correm em sigilo. Ao todo, segundo informações do jornal O Globo, foram apresentadas 10 petições ao Supremo Tribunal Federal (STF), na semana passada. Os documentos contêm 12 autoridades com foro de prerrogativa na Suprema Corte.

Os ministros relatores foram sorteados para cuidar das seis investigações. Integrantes do STF confirmaram ao Metrópoles a existência das petições. No entanto, não divulgaram informações ou nomes.

As petições estão divididas por crimes e fazem parte de estágio anterior à abertura do inquérito.

Relatório

Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 aprovou em outubro o relatório do senador Renan Calheiros (MDB-AL), com 80 pedidos de indiciamentos. Os alvos são 78 pessoas e duas empresas.

Entre as autoridades acusadas, estão o presidente Jair Bolsonaro (PL) e os filhos Flávio, Carlos e Eduardo Bolsonaro. Também são responsabilizados ministros, ex-ministros, empresários, lobistas, médicos e influenciadores bolsonaristas.

As petições da PGR envolvendo Bolsonaro tratam dos crimes de epidemia, infração de medida sanitária preventiva, charlatanismo, incitação ao crime, falsificação de documento particular e emprego irregular de verbas públicas.

Mais lidas
Últimas notícias